Facebook Youtube Twitter
PCdoB

Vanessa: Devemos nos manter mobilizados em defesa da Constituição

4 de abril, 2018
12h 50m

A líder do PCdoB no Senado, Vanessa Grazziotin (AM), comentou na manhã desta quarta-feira (4) sobre a importância do julgamento do Habeas Corpus do ex-presidente Lula que acontece em sessão no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta tarde. Vanessa faz alerta contra ações agressivas e de hostilidade e recomenda a manutenção da mobilizados em defesa da Constituição, do Estado Democrático de Direito e da paz.

Para a senadora, que gravou o vídeo em frente ao Congresso Nacional, o que está em jogo a democracia do país.

“Hoje é um dia muito importante em que o STF deverá analisar o HC do ex-presidente Lula. Não vamos apenas torcer, mas trabalhar no sentido de que as divergências não se transformem em violência (…). Não devemos permitir que a manifestação encaminhe para a agressividade. A violência expressa a manifestação de regimes autoritários, regimes de exceção. Não devemos permitir que isso acontece. Mas por outro lado devemos nos manter mobilizados para defender sempre a legislação, a Constituição e a democracia.

Manutenção da paz

A senadora comunista faz um alerta: “Devemos ficar atentos falando da paz e da tranquilidade” contra “uma parcela da população que não tem interesse no país ou com o povo. Os saudosistas da Ditadura Militar, disse. “Mas eles são uma pequena parte e não passarão”.

Vanessa criticou atitudes como a do deputado Jair Bolsonaro que elogia crimes de exceção. Segundo Vanessa, “para que possamos enfrentar esse tipo, temos que cultivar o respeito, a paz. Todos nós somos seres humanos”, defendeu.

Citando os 50 anos da morte de Martin Luther King, um “gigante nos direitos civis”, Vanessa cita uma de suas mensagens: “Não tentamos saciar nossa sede de liberdade bebendo do cálice da amargura e do ódio”.

O golpe foi para substituir o projeto de Brasil
Vanessa ressaltou ainda que o golpe de 2016 “foi tudo engendrado para substituir o projeto político, social e econômico do Brasil”, representado pelas reformas apresentadas pelo governo Temer, como a Trabalhista, citou. Segundo a senadora o intuito é retirar todo e qualquer direito dos trabalhadores e trabalhadoras e fazer as privatizações, disse.

A senadora defendeu como saída para reverter esse caminho, “eleições diretas e livres”.

Perseguição contra Lula

Sobre o processo de Lula, a senadora recomendou a leitura do processo contra o ex-presidente. “Qual era a prova que tinham contra o ex-presidente Lula? Que propina é essa?”, questiona. No fundo é uma perseguição. Lula foi condenado sem nenhuma prova, disse Vanessa.

“O objetivo não é atingir só a figura dele, mas de um projeto. Eles não podem imaginar a possibilidade do Lula ser de novo presidente do Brasil”, conta.

Porém, a senadora comunista acredita que o STF respeitará a Constituição e concederá o Habeas Corpus ao ex-presidente.” Tudo que precisamos é de eleições livres e não tirar a possibilidade de Lula ser candidato”.

“Nós do PCdoB temos uma candidata”, disse Vanessa Grazziotin elogiando as ações da Manuela D’Ávila em apoio e solidariedade ao Lula, “mas continuamos lutando para garantir eleições, garantir a democracia”, enfatiza.

Vanessa reforçou ainda que ninguém defende a impunidade, mas não se pode passar por cima da Constituição Federal de 1988. E a carta magna ‘é clara, no seu artigo 5º, inciso 57: “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”‘, lembra.

“Vamos à luta pela democracia, na defesa da Constituição e da nossa democracia”.

Capturar.